9 Dicas para uma alimentação sem glúten dentro do orçamento

sem_gluten

Viver uma vida sem glúten é muito mais do que tendência de moda, que o digam os portadores da doença celíaca que vivem no dia-a-dia as dificuldades que podem resultar do corte do glúten na sua alimentação.

O glúten desempenha um papel fundamental, sobretudo na panificação, onde é o responsável pelo aumento do volume da massa, confere uma côdea estaladiça, previne que os bolos ou pães se abatam e mantêm-os frescos por mais tempo.

Presente em determinados tipo de cereais (trigo, centeio, aveia, cevada…) pode, também, estar escondido noutros alimentos que contenham este tipo de cereais (pão, bolachas, batatas fritas, gelados, sopas, etc) ou até mesmo em medicamentos, dentífricos e produtos de beleza.

É muito importante ler os rótulos dos alimentos, se bem que hoje em dia muitos dos alimentos sem glúten já se encontram identificados com um símbolo, uma espiga cortada. A nível europeu, foi estabelecido que associado a este símbolo podem estar 2 menções: «teor muito baixo de glúten», para produtos com teor de glúten não superior a 100 miligramas por quilograma, e «isento de glúten», utilizado em produtos que contenham menos de 20 miligramas de glúten por quilograma.

Apesar de algumas pessoas encararem a alimentação sem glúten como muito complicada e difícil de seguir, pois ela implica uma alteração de hábitos alimentares, os inúmeros benefícios que ela proporciona compensam e muito o esforço.  Para além de uma alimentação mais saudável, tem a mais valia de:

  • afinar a silhueta
  • reduzir o volume da barriga
  • diminuir a retenção de liquidos
  • reduzir enxaquecas e dores de cabeça
  • aliviar dores articulares
  • aumentar os níveis de energia e vitalidade
  • proporcionar uma pele mais saudável
  • reduzir de problemas de digestivos
  • diminuir o desenvolvimento de inflamações nas mucosas (garganta, ouvidos, etc)
  • reduzir os estado depressivos

sem_gluten_1

Iniciar uma alimentação sem glúten poderá parecer um verdadeiro desafio, não só pelas alterações em termos alimentares, como também em termos de orçamento. Para minimizar este último aqui ficam algumas sugestões, que encontramos, e que nos parecem ser  uma boa opção.

  1. Não comprar alimentos embalados – Tendo em conta os preços elevados que muitos destes produtos têm o ideal é fazê-los em casa. Bolachas, bolos, barras caseiras, muffins, etc podem ser um óptimo lanche ou pequeno almoço e pode sempre fazer em quantidade e conservá-los.
  2. Utilize os produto da época – Em vez de pão para acompanhar a refeição, que tal uns aspargos assados. Aproveita a sazonalidade dos alimentos e utilize-os nas suas refeições.
  3. Não complique – Pode fazer algumas refeições que sejam mais elaboradas, mas só de vez em quando. Quando cozinhar tente fazer quantidades maiores de forma a conseguir que sobre para uma segunda refeição.
  4. Leia os rótulos – É importante que o faça quando compra alimentos processados de forma a não ter surpresas desagradáveis.
  5. Faça refeições que goste – Não precisa cozinhar apenas para si. Procure algumas ideias que saiba que os restantes familiares gostam e adapte-as para si. vai cozinhar tortilhas de farinha, faça a sua de milho ou substitua-a por uma folha de alface.
  6. Grelhados, salteados e sopas – Para saltear só tem cortar legumes, acrescente um pouco de carne cozinhe-o com um molho. Grelhar a carne e servir com frutas e legumes e talvez com faz uma refeição rápida e fácil. As sopas são outra refeição simples e amiga do orçamento.
  7. Aveia e farinha de aveia – Os flocos de aveia para além de acessíveis podem ser transformados em farinha, bastando colocar no liquidificador. Com ela faça panquecas, bolos, bolachas ou misture com sementes e frutos secos e faça granola.
  8. Faça escolhas inteligentes – Alguns produtos sem glúten, por serem populares, são caros. O arroz integral, o trigo sarraceno e o milho continuam a ser boas opções.
  9. Seja o seu próprio padeiro -Faça as suas versões adaptadas à versão sem glúten.

Estas são algumas das sugestões que encontramos, se tiver mais alguma esteja à vontade para a partilhar 🙂

Se procura receitas originais para fugir à rotina veja na nossa passagem de receitas saudáveis em  www.aquihagata.com .

Fonte: http://www.celiacos.org.pt/; http://www.fromthiskitchentable.com/tips-for-going-wheat-free/; http://www.feelslikehomeblog.com/2012/12/how-to-go-gluten-free/; http://savvymujer.com/simple-tips-going-gluten-free/

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s